sábado, 31 de dezembro de 2011

Feliz 2012

2011 é mais um ano que finda, mas ficam suas marcas na lembrança e nas consequências do que fizemos ou deixamos de fazer. Este é mais um ano que entra para a história como uma página virada, mas que sempre será novamente folhada, lida e relida.
2012 vem chegando e pedindo passagem para ser mais um ano de nossas vidas, para deixar nosso tempo acontecer e virar outra página da história, que igualmente terá algo para ser lembrado.
Nesta dinâmica da vida celebramos o ano que finda e o ano que inicia, confraternizamos o fim e o começo, o velho e o novo, o passado e o futuro, as realizações e as esperanças que se encontram, se complementam.
Um feliz e salutar Ano Novo, com a bênção de Deus criador e defensor da Vida.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

17ª Conferência das Partes (COP) do Clima

Conferência das Partes (COP): COP do clima é a Conferência das Partes da Convenção-Quadro da ONU sobre Mudança do Clima.
O Brasil participa, de 28 de novembro a 9 de dezembro, da 17ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP-17), que acontece em Durban, na África do Sul.
O evento reúne representantes de governos de todo o mundo, organizações internacionais e representantes da sociedade civil.
O objetivo das discussões é buscar avançar, de forma equilibrada, na implementação da Convenção e do Protocolo de Kyoto; bem como no Plano de Ação de Bali, que foi acordado na COP 13, em 2007; além dos Acordos de Cancun, alcançados durante a COP 16, em dezembro passado.
Desde a UNFCCC entrou em vigor em 1995, a Conferência das Partes (COP) da UNFCCC têm se reunido anualmente para avaliar o progresso em lidar com as mudanças climáticas.
A COP adota decisões e resoluções, publicadas em relatórios do COP. Sucessivas decisões tomadas pelo COP compõem um conjunto detalhado de regras para a execução prática e eficaz da Convenção.
Forte apelo por negociações climáticas responsáveis marca início da COP 17
Ativistas do Greenpeace, vestidos de árvores, protestam contra o desmatamento da Amazônia no Brasil, nesta terça-feira (29), na cidade sul-africana de Durban. O protesto ocorre no segundo dia da Conferência do Clima da ONU (Foto: John Robinson, Greenpeace/AP.
Conferência do Clima, em Durban, é tida como a última chance de se salvar o Protocolo de Kyoto
Confira imagens da COP 17, em Durban

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Ato em Defesa das Florestas e entrega de abaixo-assinados


Ato em Defesa das Florestas promove entrega de abaixo-assinados contra as mudanças do Código Florestal no Palácio do Planalto na próxima terça-feira, 29 de novembro
Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável promove manifestação, a partir das 9h

Na próxima terça-feira, 29, a partir das 9h, o Ato em Defesa das Florestas promove a entrega de assinaturas contra as alterações do Código Florestal para a presidente Dilma no Palácio do Planalto.

O ato pretende reunir movimentos sociais, universitários, formadores de opinião, defensores em geral da causa ambiental, além de representantes das quase 200 organizações que integram o Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, que vão marchar do Congresso Nacional até o Palácio do Planalto.

Ao mesmo tempo, um grupo de 800 crianças levará à presidente Dilma uma mensagem em defesa das florestas brasileiras. São crianças de escolas de Brasília que irão colorir de verde o céu da praça com milhares de balões verdes e biodegradáveis.

sábado, 26 de novembro de 2011

1ª Bicicletada Herdeiros de Sepé

HOUVE ALTERAÇÃO NO ROTEIRO DA
BICICLETADA:

SÁBADO - 26/11/11 - ......................Início – 14 h Final da Estrada da Barca/Rua Maria Isabel/Rua José Veríssimo/Rua República/Rua Coronel Vicente/Rua Dr. Barcelos/Viaduto Metrovel /Av. Inconfidência/Av. Santos Ferreira

15h30m - Parada fonte Dona Josefina/ Av. Santos Ferreira/Rua Santa Maria/Rua Bandeirantes/Rua Fernando Abott

16h45m Parada na FAUERS – Lanche/Apresentação/Fernando Abott/Rua Bandeirantes/Rua Santa Maria/Av. Santos Ferreira/Av. Inconfidência/Metrovel/Dr. Barcelos/Araçá/República/Rua Sem Nome/Maria Isabel/Estrada da Prainha Paquetá/........................Acampamento

DOMINGO - 27/11/11
6 horas - Alvorada /Estrada da Prainha/Maria Isabel/Rua Sem Nome/Rua Roberto FCO Behrends

8 horas - Parada no Arroio Araçá - Rua do Aterro com a Av. Irineu de Carvalho, divisa entre os Bairros Mato Grande e Fátima/1° Parada Rua Roberto Fco. Behrends ( plantio de arvores) /Rua Roberto FCO Behrends/Rua República/ Rua José Veríssimo/ 2° parada centro das comunidades/ Rua Maria Isabel /Estrada da barca /3° parada capela N S de Fátima/ ....................................................Encerramento.

Tendo ou não bicicleta você pode participar!

ESCOLHA ALGUM MOMENTO OU PARTICIPE EM TODO O ROTEIRO!!!

'O trinômio economia, saúde e ecologia, está diretamente ligado a vida de quem usa muito a bicicleta.

Melhoramos a vida de todos nós e também do nosso meio-ambiente.'


Veja o projeto aqui: http://arroioaraca.blogspot.com/2011/11/projetos-herdeiros-de-sepe-tiaraju-e.html

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Audiência pública preparatória para a Rio+20


Nesta segunda-feira, 21, a Comissão de Saúde e Meio, presidida pela deputada Marisa Formolo, realizou audiência pública preparatória para a Rio+20. Na abertura da audiência, Irmão Antônio Cechin falou sobre os catadores e a questão do lixo:

Vivemos a era do lixo
Necessidade de políticas públicas

por Irmão Antônio Cechin*
Um professor e pesquisador da universidade de Campinas (UNICAMP) tem um artigo intitulado “O triunfo do lixo”.
Começa seu artigo afirmando “se a humanidade vive a era do conhecimento, vive também a era do lixo. Do ponto de vista da quantidade, a natureza movimenta, em seu ciclo normal, 50 bilhões de toneladas de materiais por ano. Os homens, por sua vez, movimentam 48 bilhões de toneladas-ano. Destes 50 bilhões, 30 bilhões são de lixo.
Leia mias no blog da Pastoral da Ecologia
www.pastoraldaecologia.blogspot.com

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Audiência pública preparatória para a Rio+20

Nesta segunda-feira, 21, a Comissão de Saúde e Meio Ambiente realiza audiência pública preparatória para a Rio+20. O debate acontece a partir das 14 horas no Plenarinho, 3º andar da Assembléia, e prevê o relato da situação ambiental de diferentes áreas, como a construção de condomínios fechados no entorno das lagoas do litoral norte, os desertos verdes no Pampa com a plantação de eucaliptos, a utilização de agrotóxicos e a agroecologia, a luta pela preservação do morro Santa Tereza, entre outros. Confirmadas as presenças da Secretária Estadual do Meio Ambiente, Jussara Cony, a presidente da Fundação Zoobotânica, Arlete Ieda Pasqualetto, outras autoridades e movimentos sociais. A Comissão de Saúde quer sistematizar as propostas para apresentar em documento durante a Conferência.
A deputada Marisa Formolo, presidente da Comissão, destacou que “uma boa proposta para a Rio+20 inclui a mudança na cultura do consumo obsessivo, a produção de forma cada vez mais ecológica, a utilização de fontes energéticas não poluentes e uma arquitetura social mais fraterna, de compartilhamento do mundo”.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Emissões de CO2 para atmosfera sobem 6% em apenas um ano

A quantidade de gases de efeito estufa emitida para a atmosfera teve um salto sem precedentes em 2010, de acordo com os dados mais recentes de emissões de dióxido de carbono (CO2) do Departamento Americano de Energia.
"Temos informações desde 1751, antes da Revolução Industrial. Nunca tínhamos visto um aumento de 500 milhões de toneladas métricas em um ano", afirmou Tom Boden, diretor do Centro de Análise de Informações sobre CO2 do Departamento de Energia no Tennessee.
A informação é do jornal O Estado de S. Paulo, 15-11-2011.
O crescimento na emissão foi de cerca de 6% entre 2009 e 2010. Os maiores aumentos, resultados da queima de carvão e gás, vieram da China, dos EUA e da Índia - os três maiores poluidores do mundo atualmente. Picos significativos em relação a 2009 também foram vistos na Arábia Saudita, Turquia, Rússia, Polônia e Cazaquistão.
Alguns países, como Suíça, Azerbaijão, Eslováquia, Espanha, Nova Zelândia e Paquistão, tiveram declínio pequeno nas emissões. E grande parte da Europa teve aumento moderado.
Os números podem indicar a recuperação da economia da recessão global de 2007 e 2008, de acordo com Boden. Os dados, no entanto, também levantam preocupações sobre a saúde do meio ambiente.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Boas vindas ao 7º bilionésimo Ser Humano

Diversos jornais informam que a partir de hoje, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), a população do Planeta Terra chega a 7 bilhões de habitantes. Dizem que uma recém-nascida nas Filipinas é simbolicamente o ser humano de número 7 bilhões. A ONU usou, sim, estimativas demográficas, mas, selecionou esta data como um dia simbólico para promover o debate sobre o tema, de modo especial sobre as questões crescimento e sustentabilidade. E como já sou um dos 6 bilhões de habitantes deste Planeta, quero dar boas vindas ao 7º bilionésimo Ser Humano na face da Terra.

Querido irmão ou querida irmã, amado/a Ser Humano de número 7 bilhões, quero te dar as boas vindas à luz Sol. Tu, que saíste das águas de uma vida, talvez, tranquila e calma para habitar na esfera deste nosso Planeta água, com turbulências e agitações e aqui chegastes registrando o número de 7 bilhões, mereces uma acolhida de ternura, paz, respeito e carinho. Da tua recente vida, apenas sei que és negro, branco, índio, mestiço, amarelo, mulato, indiano, árabe, asiático, europeu, latino..., e que és menino e menina. És, enfim, de todas as corres, de todas as etnias e começas a aprender a falar todas as línguas. Meu querido 7º bilionésimo irmão, sei que tu és uma multidão que agora nasce para crescer e florir a Terra.
Quero te dizer, com muita humildade, que, ao redor da Terra, nos últimos dias, muito se tem falado a teu respeito. Alguns murmuram dizendo que não haverá comida para alimentar teu crescimento e tua existência e nem água para saciar tua sede. É verdade que chegastes bastante cedo e que não estamos assim tão bem preparados para uma convivência salutar, fraterna e justa. Ainda somos egoístas, ao ponto de armazenamos comida, esperando o melhor preço para obter grandes lucros. Ainda somos antipáticos uns com os outros e cometemos a burrice de fazer guerras. E o que é pior, nós ainda somos prepotentes, degradamos a Terra com nossas atividades e arrotamos por aí, nas conferências e fóruns, que vamos salvar o Planeta. Nossa ciência, graças ao bom Deus, evoluiu bastante, mas nossa falta de humildade nos impede de obedecer às vozes de sabedoria e bom senso. E em nome de um mísero lucro e um soberbo crescimento econômico, não estamos agindo para deter o aquecimento da Terra. Digo tudo isto, para que saibas onde está chegando.
E quero dizer mais, meu querido 7º bilionésimo irmão. Realmente, a comida e a água estão parecendo escassas, mas, este Planeta é generoso e é não por culpa da natureza que muitos passam fome e sede. É, sim, pela falta de organização das sociedades humanas. Nós ainda precisamos aprender a cuidar de todas as coisas que a mãe e irmã Terra nos concede. Precisamos entender as lógicas da natureza, que nos oferece o alimento na compartilha do trabalho, do amor e do cuidado. Acredito que, se tomarmos atitudes serenas, vivendo a sustentabilidade, nós todos ficaremos livres da severidade causada pelo desenvolvimento degradacionista. Precisamos, no entanto, mudar nosso modo de viver e a vida será bem melhor.
Tomei a iniciativa de te dar boas vindas e falar um pouco das verdades inconvenientes da nossa casa. Mas, também tenho a grata satisfação em dizer que aqui poderás ser muito feliz. Com certeza, terás a oportunidade ajudar a comunidade humana a se reencontrar e viver de forma mais equilibrada e harmônica. Tua presença por aqui poderá trazer muitas boas novas. Cada vida que germina, para nós, mesmo vivendo em crise, é sempre sinal de esperança. Por isso, meu querido 7º bilionésimo irmão, venha com alegria, semear teus sonhos nesta terra fértil. Venha ser feliz neste mundo diverso de saberes e sabores. Saiba que o teu advento, ao ser anunciado como o Ser Humano de número 7 bilhões, despertou preocupação sobre a sustentabilidade do Planeta. Imagino que agora estamos mais atentos sobre a nossa forma de vida. E não quero te dar boas vindas apenas em palavras, mas em ações de sustentabilidade da vida. Ao lhe dizer boas vindas, meu caro 7º bilionésimo irmão, quero me comprometer em cuidar bem de todas as formas de vida ao redor da Terra, colhendo com respeito e cuidado os frutos da natureza, favorecendo a regeneração do Planeta. E neste ato espiritual de apresentação e batismo do nosso 7º bilionésimo irmão, a humanidade toda poderia se comprometer com a sustentabilidade da vida na Terra.
por Pilato Pereira

domingo, 30 de outubro de 2011

Limite próximo

Amazônia está muito próxima de um ponto de não retorno para sua sobrevivência, diz Thomas Lovejoy, da George Mason University, no simpósio internacional Fapesp Week.
A Amazônia está muito próxima de um ponto de não retorno para sua sobrevivência, devido a uma combinação de fatores que incluem aquecimento global, desflorestamento e queimadas que minam seu sistema hidrogeológico. A advertência foi feita por Thomas Lovejoy, atualmente professor da George Mason University, no Estado de Virgínia, EUA, no primeiro dia do simpósio internacional FAPESP Week, em Washington, nesta segunda-feira. O biólogo Lovejoy, um dos mais importantes especialistas em Amazônia do mundo, começou a trabalhar na floresta brasileira em 1965, “apenas três anos depois da fundação da Fapesp”, lembrou.
Apesar de muita coisa positiva ter acontecido nestes 47 anos (“quando pisei pela primeira vez em Belém, só havia uma floresta nacional e uma área indígena demarcada e quase nenhum cientista brasileiro se interessava em estudar a Amazônia; hoje esse situação está totalmente invertida”), também apareceram no período diversos fatores de preocupação. Lovejoy acredita que restam cinco anos para inverter as tendências em tempo de evitar problemas de maior gravidade. O aquecimento da temperatura média do planeta já está na casa de 0,8 grau centígrado. Ele acredita que o limite aceitável é de 2 graus centígrados e que ele pode ser alcançado até 2016 se nada for feito para efetivamente reduzi-lo.
O objetivo fixado nas mais recentes reuniões sobre o clima em Cancun e Copenhague de limitar o aumento médio da temperatura média global em 2 graus centígrados pode ser insuficiente, na opinião de Lovejoy, devido a essa conjugação de elementos. De forma similar, Lovejoy crê que 20% de desflorestamento em relação ao tamanho original da Amazônia é o máximo que ela consegue suportar e o atual índice já é de 17% (em 1965, a taxa era de 3%).
A boa notícia, diz o biólogo, é que há bastante terra abandonada, sem nenhuma perspectiva de utilização econômica na Amazônia e que pode ser de alguma forma reflorestada, o que poderia proporcionar certa margem de segurança. Em sua palestra, Lovejoy saudou vários cientistas brasileiros como exemplares em excelência em suas pesquisas. Entre outros, Eneas Salati, Carlos Nobre e Carlos Joly.
Fonte: Agência Fapesp/EcoAgência

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

SOS Rios do Brasil em permanente campanha: "DIGA NÃO ÀS ENCHENTES"


O Blog SOS Rios do Brasil mantém desde 2008 a vitoriosa campanha permanente "DIGA NÃO ÀS ENCHENTES", para alertar, orientar e ajudar as famílias que ocupam áreas de risco de enchentes, alagamentos, deslizamentos, etc, para que possam minimizar os efeitos das pesadas chuvas, no período de novembro a março, em boa parte do Brasil.
Tem recebido considerável apoio e adesão de outros sites, blogs, jornais, revistas e importantes Ongs, associações e entidades comunitárias, que atendem as populações que enfrentam todos os anos, os mesmos problemas, no período das chuvas de verão.
O blog tem divulgado nas comunidades um texto de orientação geral e alerta para ajudar a evitar as tragédias nos deslizamentos, enchentes e alagamentos, inclusive apelando para os responsáveis para que realizem mutirões de limpeza, vistorias e até mesmo deslocamento de famílias, quando necessário.
Também disponibiliza na Campanha um texto muito real, a Cartilha de Defesa Civil do Cidadão, fruto da triste e dolorosa experiência de comunidade de Blumenau (SC), que ao longo dos anos enfrentou diversos episódios, no período das chuvas.
A Pastoral da Ecologia apóia esta campanha que também visa sensibilizar lideranças religiosas a se engajar na conscientização das pessoas para o comprometimento com a prevenção de fenômenos da natureza, causados pelos desequilíbrios ambientais.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

SBPC e ABC divulgam estudo sobre o Código Florestal

Novo documento lançado pelas entidades destaca pontos que precisam ser revistos no Projeto de Lei da Câmara 30/2011.
A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e a Academia Brasileira de Ciências (ABC) encaminharam, na última terça-feira (11), ao Senado Federal, um documento no qual as entidades destacam os pontos que precisam ser revistos no Projeto de Lei da Câmara 30/2011, que trata da reformulação do Código Florestal brasileiro. Fruto de estudos de um grupo de trabalho de cientistas e pesquisadores da área, o documento se soma ao livro O Código Florestal e a Ciência - Contribuições para o Diálogo, publicado pelas duas entidades em abril deste ano.
"No primeiro estudo, publicado em livro, defendemos que a Ciência tinha que ser ouvida nas discussões do Código Florestal; é um documento mais geral que aborda como a Ciência poderia ajudar nos debates. Agora o texto é mais objetivo e ataca pontos específicos que o grupo entende que devem ser revistos, que merecem maior dedicação dos congressistas", esclarece José Antônio Aleixo da Silva, coordenador do GT e secretário da SBPC.
O documento defende que a atualização do Código Florestal precisa ser feita à luz da ciência e tecnologia hoje disponíveis e alerta aos senadores a importante missão de corrigir os equívocos verificados na votação da matéria na Câmara. De acordo com Aleixo, o estudo divulgado na terça-feira atende à demanda dos próprios senadores que querem ouvir o posicionamento dos cientistas. "Trazemos uma posição mais clara dos pontos que merecem maior atenção. Esperamos que esse texto tenha grande impacto, que seja levado em consideração, porque a briga política entorno do Código é grande", avalia Aleixo.

Destaques - O documento traz um sumário resumido e uma parte mais detalhada com bibliografia indicativa. São dez pontos de destaque, entre eles três se concentram sobre as Áreas de Preservação Permanente (APPs). Os cientistas alertam que todas as APPs de beira de cursos d'água devem ter sua vegetação preservada e aquelas em que essa vegetação foi degradada devem ser integralmente restauradas. Segundo o estudo, deve ser mantida a definição de APP de cursos d'água do Código Florestal atual e os usos ribeirinhos das APPs na Amazônia devem receber tratamento diferenciado. A definição dos limites das APPs nas áreas úmidas deve ser calculada a partir do nível mais alto da cheia conforme definição da Convenção de Ramsar (Convenção sobre Zonas Úmidas de Importância Internacional) e as APPs em áreas urbanas devem ser reguladas pelo Plano Diretor da cidade.
Os cientistas alertam que é um equívoco considerar que APPs desmatadas até a data de 22 de julho de 2008, para uso alternativo do solo, sejam definidas como atividades consolidadas e por isso possam ser mantidas e regularizadas pelo Plano de Regularização Ambiental (PRA). A maioria dessas APPs foi desmatada em desacordo com a legislação ambiental vigente na época e a definição de área rural consolidada deve ser retirada do texto. O documento indica também a inclusão dos manguezais e apicun como APPs no texto do PLC 30/2011, em função de sua importância ecológica.
De acordo com o estudo, não se justifica cientificamente a inclusão das APPs no cômputo das Reservas Legais (RLs) já que apresentam estruturas e funções distintas e comunidades biológicas complementares. Elas devem ser mantidas separadas. Os cientistas recomendam que a compensação da Reserva Legal não deve ser prevista no âmbito do bioma indistintamente, pois devido a sua heterogeneidade física, biológica e ecológica, poderá levar à compensação de áreas que não têm equivalência nem em termos de composição e estrutura, nem de função. A compensação deve ser realizada em áreas mais próximas possíveis, dentro da mesma unidade fitoecológica (mesmo ecossistema), de preferência na mesma microbacia ou bacia, para que haja a desejada equivalência ecológica.
Os pesquisadores alertam que a permissão do uso de espécies exóticas em até 50% da Reserva Legal é extremamente prejudicial para as principais funções da área: conservação da biodiversidade nativa e uso sustentável de recursos naturais. Mas o uso temporário de espécies exóticas, combinado com espécies nativas regionais nas fases iniciais de restauração de uma área, pode ser uma alternativa interessante.
O documento destaca ainda que a Agricultura Familiar é definida na Lei 11.326/2006, art.3, com quatro critérios que devem ser simultaneamente observados e dizem respeito a tamanho, mão de obra, renda e gestão. Esses critérios não podem ser reduzidos na lei apenas ao tamanho da propriedade (quatro Módulos Fiscais).

Dilema - Os cientistas ressaltam que não existe dilema entre conservar o meio ambiente e produzir alimentos, afirmando que a limitação para o crescimento da agricultura nacional se deve à falta de adequação de política agrícola e não às restrições ambientais colocadas pelo Código Florestal. O documento também trata do custo de restauração de área degradadas, que varia conforme diferentes situações, e destaca alguns serviços ambientais essenciais da vegetação ripária que justificam sua preservação e restauração.

Confira a íntegra do estudo da SBPC e da ABC sobre o Código Florestal no link:

sábado, 15 de outubro de 2011

O bom mestre

Neste dia do(a) professor(a), compartilho uma poesia que escrevi no final de 2006, em homenagem ao pai, Mozart Lourenço Pereira, que faleceu no dia do professor (15/10/2006). Meu pai foi meu grande mestre.

O bom mestre
Entre um palheiro e outro
Ou algum trago, talvez
Ou um chimarrão
Que a mãe lhe fez
Assim, o pai seguia sua prosa
Como tento dizer neste verso
Ele não queria julgar
O que era errado ou certo
Mas no seu modo calmo de falar
O bom mestre que sabia ensinar
Começava e seguia falando
Com palavras simples e sábias
Ensinando-nos sobre a vida
O que aprendeu de seus pais
Dos livros que leu
E em suas idas e vindas
Era assim depois da tarde caída
Ao longo do anoitecer
Reunidos ao redor do fogão
Enquanto a lenha queimava
O pai partilhava o saber
Que provinha do seu coração

Pilato Pereira

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Defesa da água como bem público e direito universal marcou a 18ª Romaria das Águas


Ás 9 horas desta quarta-feira, dia 12, centenas de romeiros e romeiras saíram da Usina do Gasômetro numa procissão fluvial em direção ao estaleiro da Ilha da Pintada, onde encontraram outros barcos menores, sendo um deles o portador da imagem de Nossa Senhora Aparecida das Águas. Da ilha de volta ao Gasômetro, a imagem da Senhora das Águas conduziu romeiros e romeiras que cantavam e rezavam em diversas crenças e anunciavam o valor comum para todos, que é o cuidado com a natureza. Assim iniciou em Porto Alegre a 18ª Romaria das Águas, com o tema: "Água, bem público e direito universal"
Ao retornar para a Usina do Gasômetro, outras centenas de pessoas aguardavam a chegada da imagem e seus romeiros/as. A Senhora das Águas foi recebida num corredor humano formado pela fraternidade de pessoas de diversas religiões que se deram as mãos para acolher a imagem que denúncia abuso e o desrespeito com as águas e anuncia o cuidado ecológico da vida. Após a fraterna recepção da imagem, o largo do Gasômetro se tornou um grande templo, onde a diversidade religiosa cultural celebrou o amor e compromisso com a criação de Deus. Todas as manifestações foram unanimes em defender a Água como um bem público e direito universal. Líderes religiosos defendem que a Água nunca jamais deve ser privatizada. E que toda a população tem direito de receber em sua casa a água potável, sem ter que pagar por ela como mercadoria.
O coordenador da Associação Caminho das Águas, Irmão Antônio Cechin, falou sobre a importância de todos os romeiros e romeiras se comprometerem com a luta em defesa do serviço público e de qualidade na distribuição da Água. Entre os manifestantes, estava o ex-governador, Olívio Dutra, que também foi Ministro das Cidades e falou em defesa da Água como bem público.
O encontro contou com a presença da equipe do programa Vida no Sul, que gravou com o grupo de Antônio Gringo para a próxima edição do programa que vai ao ar no sábado às 22 horas. Após a Tribuna Ecológica, a 18ª Romaria das Águas encerrou com a Cerimônia do envio e o compromisso no Rito de purificação das Águas.
Esta foi a 18ª edição da Romaria das Águas que iniciou com a devoção de catadores nas Ilhas do Guaíba, quando encontraram junto ao "lixo" a imagem de Nossa Senhora Aparecida. A imagem estava quebrada, mas colaram, prepararam um altar, ascenderam velas e rezaram para a Mãe e Senhora das Águas que hoje reúne pessoas de diversas religiões e denominações religiosas, mas, com um único objetivo: preservar a vida que Deus criou.
O evento Romaria das Águas não ocorre em apenas um dia. Na verdade, a Romaria culmina no dia 12 de Outubro em Porto Alegre, mas a imagem da Senhora das Águas percorre diversas cidades do Estado na coleta de água das nascentes. Fazendo um roteiro de coleta, a Romaria acontece num longo processo de educação ambiental e campanha pela preservação e respeito para com as águas e o meio ambiente. A iniciativa da Romaria foi do Irmão Antônio Cechin, coordenador da Associação Caminho das Águas, que além de promover a Romaria das Águas, também é responsável pela Bicicletada Caminhos de Sepé e desenvolve um trabalho permanente com os catadores de Porto Alegre e região. A realização desta Romaria contou com o apoio de diversas entidades religiosas, como a FAUERS (Federação Afro-Umbandista e Espiritualista no Rio Grande do Sul), a Pastoral da Ecologia da CNBB Sul 3. A Romaria também teve o apoio da CORSAN e da Assembléia Legislativa, através da Comissão de Saúde e Meio Ambiente. Nos municípios onde passou a imagem e se realizou a coleta das águas, a Romaria teve o apoio de entidades locais e em muitos casos das administrações municipais.
Na Romaria deste dia 12 de outubro de 2011 se iniciou a distribuição de uma cartilha sobre o cuidado das Águas, elaborada pela Professora Maria Inês de Canoas, com o apoio do Ministério do Meio Ambiente e que continuará sendo distribuída, de modo especial para as escolas.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Paz e Bem, Irmão Francisco


Meu caro irmão, Francisco de Assis, neste dia em que a humanidade celebra teu nome e tua vida, te saúdo com ternura e bem querer. Oito séculos separam os nossos dias atuais do tempo em que tu foste peregrino nas ruas de Assis e forasteiro neste mundo. Hoje quero te saudar pelo dia em que a Terra e o Céu celebram tua vida testemunhada no amor aos pobres e a natureza - este extraordinário legado que nos deixaste e que se preserva ao longo dos séculos, chegando a te considerar o homem do milênio.
Entendo que não queira nenhum tipo de honrarias, mas este dia podemos celebrar em honra de Franciscos e Claras, irmãos e irmãs de todas as formas de vida. Celebramos esta data como o dia de Sábado da Criação, entoando nos gestos, nas palavras, nas ações e nos silêncios, o teu Cântico ao Senhor Irmão Sol. Hoje podemos celebrar em honra de toda a criação de Deus. Pois, tu és o irmão universal, o santo da ecologia, da paz e da ternura. O pobrezinho de Assis que mostrou ao mundo que a grande riqueza, aquela que liberta os corações, vem do Evangelho de Jesus Cristo.
Também quero ser breve nas palavras que são poucas e pobres, mas carregadas da grande riqueza dos sentimentos que o mundo tem por ti, meu caro irmão Francisco. Somos incontáveis os que te amam e admiram o teu jeito de amar e servir ao Altíssimo e Bom Deus, com todas as criaturas; com o senhor irmão Sol e as irmãs Lua e Estrelas; os irmãos Vento e Nuvens; a irmã Água e o irmão Fogo e nossa irmã e mãe Terra, bem como, todos os irmãos e irmãs que vivem o perdão, o amor e a paz e são capazes de compreender os limites e as possibilidades da vida.
Com todas as criaturas soubeste amar e servir o Altíssimo e Bom Deus, e este grande amor descobriste ao abraçar e beijar o leproso. Por isso, irmão Francisco, que quando tu já não mais podia ver com os olhos, pode sentir a comunhão com todas os seres vivos e acolher o caminho, que não te levou deste mundo, mas que te eternizou no coração da humanidade. Pode parecer estranho, mas eu sei que estás presente no sentimento das aves do céu, dos peixes do mar, das plantas e animais da terra. Tudo o que vive, mesmo sem saber, sente Francisco, o sentimento grande de comunhão com tudo o que Deus criou.
Disse que minhas palavras seriam breves e, como tu não está tão longe, irmão Francisco, aqui concluo. Mas, neste dia, quero te abraçar com os raios do Sol, com as nuvens e o vento e quero beijar teu coração com o luar, o murmúrio dos insetos e o cantar majestoso do Sabiá.
Paz e Bem.
Assinado: Cisco
Gaia, 4 de outubro de 2011.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Hoje é o Dia de São Francisco de Assis e do Bem Estar Animal


Hoje, 4 de outubro, é a Festa de São Francisco de Assis e o município de Canoas celebra oficialmente esta data com o Dia do Bem Estar Animal. Por ser o padroeiro da Ecologia, o protetor dos animais e um santo universal, venerado e celebrado por pessoas de diversas religiões, o Dia de São Francisco de Assis foi escolhido para ser a data de conscientização sobre o respeito aos animais e toda a natureza. E o município de Canoas, através da lei 5.615/2011, de autoria do vereador Ivo Fiorotti, criou o Dia Municipal do Bem Estar Animal.
Nesta terça-feira, 4 de outubro, acontece em diversos pontos da cidade, ações de conscientização sobre o cuidado e a posse responsável de animais domésticos. O 1º Dia do Bem Estar Animal em Canoas é comemorado hoje pela Prefeitura Municipal, através da Diretoria de Vigilância em Saúde, em parceria com entidades e o Fórum do Bem Estar Animal.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Seminário Estadual de Educação Ambiental/Pró-Sinos - Assembléia Legislativa



O Consórcio Pró-Sinos convida para participar do SEMINARIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL, que será realizado no dia 30 de setembro de 2011, das 8 às 17hs, no Auditório Dante Barone da Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, (Praça Marechal Deodoro, nº101, Centro - Porto Alegre/RS).
As inscrições podem ser realizadas pelo telefone (51) 3575 3325 ou pelo site clicando aqui.
No dia 30, as inscrições poderão ser feitas no local do evento no periodo das 8 às 8:30hs.
Programação
Manhã:
• 8h às 9h – Credenciamento;
• 9h – Abertura;
• 9h10min – Vídeo Institucional do Pró-Sinos.
Tema: Desafios atuais da Educação Ambiental;
Mesa: Pró-Sinos, Agência Nacional de Águas - ANA, Ministério das Cidades e Ministério do Meio Ambiente – MMA.
• 10h30min às 10h45min – Intervalo;
• 11h30min – Espaço para Questionamentos;
• 12h – Almoço;
Tarde:
Tema: Troca de saberes na Educação Ambiental
• 14h – Apresentação do Programa de Educação Ambiental do Pró-Sinos;
• 15h – Apresentação da Educação Ambiental/Coletivo Educador/Agenda 21 – Itaipu Binacional;
• 15h45min – Apresentação do Programa de Educação Ambiental do Instituto Martin Pescador;
• 16h15min – Apresentação de experiências do Coletivo Educador do Alto Uruguai;
• 17h - Encerramento.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

SMAM adverte: árvores fazem mal à Copa do Mundo!

Tristeza na Rua considerada Mais Bonita do Mundo.
Foi com muita tristeza que os que tanto lutaram pela preservação do Túnel Verde da Rua Gonçalo de Carvalho souberam que o projeto de lei que tornaria cerca de 70 Túneis Verdes da capital gaúcha como "Áreas de Uso Especial" não foi votado pela Câmara Municipal de Porto Alegre.
Graças aos "Amigos da Gonçalo", hoje em muitos lugares do planeta, a cidade de Porto Alegre não é conhecida no exterior apenas por seus dois grandes clubes de futebol, alguns esportistas destacados, pelo Fórum Social Mundial, alguns grandes nomes da Arte e Cultura e pela implementação do Orçamento Participativo. Também é citada como a bela e verde cidade onde existe uma rua que é considerada por muitos como "A Mais Bela do Mundo", em virtude da beleza de suas árvores e pela árdua luta por sua preservação.
Leia reportagem completa e com vídeo no blog "Amigos da Gonçalo"

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Vem chegando a Primavera


Che Guevara falou: “os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas, mas jamais conseguirão deter a primavera”. Assim como o Verão, o Inverno e o Outono, a Primavera sempre volta, sem nunca ter nos deixado. Como o Sol que surge no horizonte, se alastra e depois se põe e no dia seguinte, mesmo as escondidas, lá está ele novamente cumprindo seu ritual de nascer e morrer, sem nunca deixar de viver. Assim é a vida. As flores que agora são flores virão a ser frutos e os frutos alimentam outros seres e guardam suas sementes que morrem para gerar vida que floresce. E quanto mais nos detemos a observar e compreender os mistérios da natureza, mais nos envolvemos em mistérios que se revelam e velam verdades tantas. Existem paisagens belas que são reveladas pela luz e outras, igualmente belas, são reveladas pela noite. E o que noite esconde, o dia desvela e o que o dia desfaz, a noite refaz.
Setembro está quase de partida, mas nos deixa, aqui no hemisfério Sul, de presente, a Primavera, a estação das flores e da unimultiplicidade das cores da vida. Bem-vinda a Primavera, ela que sempre vem prenunciada pelo majestoso cando do Sabiá. Todos os anos ela vem desabrochar a vida, reflorescer os sonhos e acordar a esperança, embelezar e perfumar a convivência das pessoas e a natureza. A Primavera exibe as cores da vida. Ela expõe um espetáculo que não é somente seu, mas a sua missão é exibir a vida em forma de flores. Mas, para que existam flores na Primavera, é preciso o calor do Verão, a transição do Outono e o frio do Inverno. Tudo depende de tudo e tudo está interligado com tudo. O capricho da natureza, muitas vezes desconhecido, durante as outras estações resulta na beleza da Primavera. Quando nos encantamos com as flores desta estação, é bom reconhecer o quanto foi importante o clima regular das outras estações. Não haveria Primavera se não fosse o Inverno. Quando reclamávamos daqueles dias frios que só se saia de casa por extrema precisão, a natureza silenciosamente se servia daquele clima para nutrir a vida. E agora, com toda eloquência, a Primavera canta a poesia da vida.
A Primavera é mesmo fascinante. Sua missão é revelar a beleza da vida que, por vezes, passa despercebida. E quando a Primavera nos diz que a vida é linda e nós humanos compreendemos a sua poesia, a vida realmente se torna melhor. Também externamos as nossas cores. Cores de sentimentos, desejos, pensamentos, ideias, ideologias, crenças e filosofias. As cores que pintamos e vestimos e também as cores de bandeiras que erguemos. E quando essas bandeiras pregam paz, justiça e dignidade, elas movem o mundo. Sendo assim, são bandeiras que expressam nossa humanidade, como as flores que na Primavera expressam a beleza que está na essência da vida.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Hoje é o Dia da Árvore...

Mas não é o único dia para plantar e cuidar das árvores. Plante no tempo certo e cuide sempre que sua árvore precisar de cuidados.
Leia mais..

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Ibama/RS flagra novos desmatamentos no Bioma Mata Atlântica

Foto: Ibama
Na grande maioria, as matas nativas foram convertidas em lavouras temporárias e, em alguns casos, os desmatamentos foram seguidos da queima para eliminação dos resíduos dos desmates.
Por Maria Helena Firmbach Annes - Ibama

Durante sobrevôos realizados no período de 5 a 9/09, com a utilização do helicóptero Ibama-1, Agentes Ambientais Federais do Escritório Regional da Santa Maria identificaram 30 novos locais que apresentavam desmates recentes na Floresta Estacional Decidual do Bioma Mata Atlântica. Um terço deles no município de São Francisco de Assis (localizado a 427 quilômetros da Capital, na região central do Estado).
Segundo o chefe do Escritório, analista ambiental Tarso Isaia, na grande maioria as matas nativas foram convertidas em lavouras temporárias e em alguns casos os desmatamentos foram seguidos da queima para eliminação dos resíduos dos desmates, e as áreas estão prestes a serem preparadas para cultivos.
Além do município de São Francisco de Assis, também em Toropi e em Sinimbu foram flagrados desmatamentos recentes. No município de Pinhal Grande a ação fiscalizatória vistoriou um depósito de madeira de essências nativas com aproximadamente 50 m³ de pranchas e tábuas. Segundo Tarso Isaia a madeira não possui origem legal, fato que já está em fase de apuração pelo Escritório Regional.
Além destes novos casos de cortes de matas nativas no interior do Bioma Mata Atlântica somam-se diversas incidências de queimadas de campo, constatadas em áreas situadas no interior do Bioma Pampa, mais especificamente no município de São Sepé.
Depois da ação fiscalizatória com o uso do helicóptero, o Escritório Regional de Santa Maria deu início às ações de campo. No município de Toropi, aonde foram constatados diversos desmatamentos, foi autuado o responsável pelo corte ilegal de vegetação nativa em área aproximada de 1,8 ha, sendo aplicada multa de R$ 10.000,00 e embargo da área para atividade agrossilvopastoril. Em Pinhal Grande, foi notificado o proprietário do galpão no qual estão depositados os 50 m3 de madeira de essências nativas, para que comprove a origem legal da mesma.
Segundo Tarso Isaia, nos próximos dias serão visitadas outras localidades onde foram constatados novos casos de danos causados à vegetação natural do Bioma Mata Atlântica, dando seguimento à ação iniciada em 2010 com objetivo de estancar as ocorrências de práticas capazes de comprometer a integridade daquela porção do bioma em território gaúcho.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

10 Anos de Pastoral da Ecologia - RS



A Pastoral da Ecologia foi criada na CNBB do Rio Grande do Sul no início do novo milênio, através do empenho e da coragem do Irmão Antônio Cechin, juntamente com outros companheiros/as, alguns da Família Franciscana, do Sinfrajupe e da OFS e pessoas comprometidas com a causa dos catadores. Ao longo de 10 anos de caminhada, a nova Pastoral procurou ser uma referência para que a Igreja pudesse se manifestar e agir frente às questões ambientais. Como costuma dizer nosso mestre, Irmão Cechin, “a ecologia entrou na Igreja através dos pobres”. Pois, a CNBB reconheceu esta nova pastoral por causa das experiências de trabalho com os catadores.
Desde os primeiros momentos a Pastoral da Ecologia é uma pastoral socioambiental e ecumênica. Envolvida no processo da Romaria das Águas, a Pastoral sempre teve uma forte presença de ecumenismo. E além de ser colaboradora na Romaria das Águas, nossa Pastoral coopera na organização de outras iniciativas sociais e ecumênicas, como, por exemplo, a Bicicletada “Caminhos de Sepé”. E também marcamos presença ativa na organização de diversas edições do Grito dos Excluídos e participação na Romaria da Terra.
Com uma equipe de coordenação regional, a Pastoral da Ecologia também tem a missão de colaborar com a Igreja, motivando as comunidades para o compromisso com a criação de Deus. Por isso, procuramos realizar seminários em âmbito estadual para reunir representação das dioceses. Conseguimos promover 5 seminários, sendo que os dois primeiros tiveram boa participação e os três últimos foram menores. Porém, ricos nos debates e nas reflexões e comprometimentos. As questões da Água e do “Lixo” sempre foram eixos centrais assumidos pela Pastoral da Ecologia. E em nosso último encontro refletimos sobre “qual é a nossa ecologia?”. E confirmamos nosso comprometimento com uma ecologia social, holística e ecumênica, que integra o ser humano; uma ecologia critica, com a compreensão de que o sistema que degrada o meio ambiente é também o mesmo que explora e marginaliza as pessoas. Percebemos que o mesmo modelo político, social e econômico de sociedade, que destrói a natureza é o que violenta as relações humanas, causando guerras e fome. Diante desta compreensão, avaliamos ser importante fortalecer e gestar novos grupos de base e atuar em rede, considerando que é preciso olhar e agir global e localmente.
Desde o início, como Pastoral da Ecologia, lutamos muito para criar equipes diocesanas de pastoral ecológica, o que não se concretizou plenamente. Por isso, optamos pelos Grupos Ecológicos de Base. E os nossos seminários, reuniões e encontros de debates e reflexões, foram clareando a importância de se criar grupos de base e este é hoje um dos principais compromissos da nossa Pastoral, enquanto equipe regional. Entendemos, portanto, que a estrutura funcional da Pastoral da Ecologia se dá na organização de grupos de base articulados em rede.
Para a Pastoral da Ecologia é fundamental a opção pelos pobres, a defesa das pessoas e da natureza degrada pela ambição do capital. Por isso, não tivemos dúvida em apoiar o movimento em defesa da orla do Guaíba, quando ocorreu o plebiscito em Porto Alegre e desde 2010 estamos somando força nas lutas contra a mudança no Código Florestal. Também tomamos partido ao lado de Dom Cappio em defesa do Rio São Francisco. Apoiamos e trabalhamos juntos na campanha pelo limite da propriedade da terra. E, em homenagem aos Guaraní e São Sepé Tiaraju, o lema que usamos em nosso blog é “Na luta pela Terra sem males”.
Vale lembrar que a Pastoral da Ecologia tem quatro pilares de sustentação: testemunho, diálogo, denúncia e anúncio. Ser Pastoral da Ecologia é dar testemunho da fé no Deus criador, cuidando e defendendo a vida das ameaças que sofre nos dias de hoje. E para melhor cuidar, é preciso somar forças, buscar o diálogo e trabalhar com outras pessoas que também acreditam e lutam nesta causa. E, na força do testemunho, no diálogo e na cooperação, podemos e devemos denunciar os abusos e desrespeitos com a vida. Denunciamos, pois, a degradação humana e ambiental, anunciando o Reino Ecológico de Deus, que é a vida em plenitude.
A Pastoral da Ecologia nasceu no início do novo milênio e temos como data de referência a realização do nosso primeiro seminário estadual, que ocorreu poucos dias antes da Festa de São Francisco de Assis, ao romper da Primavera de 2001, entre os dias 21, 22 e 23 de setembro, em Porto Alegre. Portanto, neste ano de 2011 se completam 10 Primaveras da Pastoral da Ecologia. E podemos dizer com São Francisco: “Louvado sejas, meu Senhor, com todas as tuas criaturas”.
Esta é, em poucas palavras, a Pastoral da Ecologia do Rio Grande do Sul, que quer contar com a tua presença solidária para que, juntos, no testemunho, no diálogo, na denúncia e no anúncio, possamos construir um mundo melhor, de justiça e paz com toda a criação de Deus.
Pilato Pereira - Coordenador da Pastoral da Ecologia - RS

sábado, 17 de setembro de 2011

18ª ROMARIA DAS ÁGUAS


18ª  ROMARIA  DAS  ÁGUAS
Água: Bem público e Direito Universal
A Romaria das Águas não acontece em apenas um dia. Ela culmina em 12 de Outubro em Porto Alegre, mas a imagem da Senhora das Águas percorre diversas cidades do Estado na coleta de água das nascentes. Fazendo um roteiro de coleta, a Romaria acontece num longo processo de educação ambiental e campanha pela preservação e respeito para com as águas e o meio ambiente. No dia 12 de Outubro ocorre a procissão fluvial, com o encontro das Águas no Guaúiba em Porto Alegre. Este ano é a 18ª edição da Romaria que iniciou com a devoção de catadores nas Ilhas do Guaíba, quando encontraram junto ao "lixo" a imagem de Nossa Senhora Aparecida. A imagem estava quebrada, mas colaram, prepararam um altar, ascenderam velas e rezaram para a Mãe e Senhora das Águas que hoje reúne pessoas de diversas religiões e denominações religiosas, mas, com um único objetivo: preservar a vida que Deus criou.. 
Programação:
12 de outubro de 2011
PROGRAMAÇÃO:
Procissão Fluvial
8h às 9h: Concentração dos barcos
Local: Estaleiro da Ilha da Pintada
9 horas: Saída do barco de passageiros da Usina do Gasômetro em direção a Ilha da Pintada.
9h 30min: Saída da Ilha da Pintada com a “Senhora das Águas”.
10h 30min: Chegada da Imagem da “Senhora das Águas na Usina do Gasômetro – POA.
Logo em seguida – 
CULTO MACROECUMÊNICO
12 horas: Almoço – Peixe na taquara
13h 30min: Momento artístico à “Senhora das Águas”. – Músicas da Fonte – Antônio Gringo e conjunto.
14h 45min: Axé Jovem – FAUERS
15h 10min:  Mitologia Africana – 
Eduardo Branca
15h 50min: Tribuna Ecológica – Falas entremeadas de músicas, danças, encenações.
16h 30min: Cerimônia do envio, COMPROMISSO com o RITO da purificação das Águas.
PLANETA ÁGUA: NOSSA CASA e NOSSA VIDA 
Povo sábio não abre mão do controle da água que sustenta sua vida.
Acompanhe a programação no blog da Romaria das Águas:www.romariadasaguasguaiba.blogspot.com
18ª  ROMARIA  DAS  ÁGUAS
Água: Bem público e Direito Universal

União pode perder um milhão de km2 de áreas alagáveis com aprovação do Código Florestal

O alerta é do vice-presidente da SBPC, Ennio Candotti, também diretor do Museu da Amazônia.

Por Viviane Monteiro - Jornal da Ciência
A União pode perder quase um milhão de km2 de áreas alagáveis do País se for aprovada a atual versão do Código Florestal em que tramita no Senado Federal. Essa área representa mais de 10% de extensão territorial do Brasil, de 8,5milhões de km2. O alerta é do vice-presidente da SBPC, Ennio Candotti, também diretor do Museu da Amazônia. Ele assegura que, pela Constituição Federal, são terrenos da União "os leitos dos rios" sobre os quais a legislação estende até a suas margens em cheia (a média das cinco maiores enchentes) acrescidos de uma faixa de 15 metros de largura de cada lado. É a partir dessas margens que as Áreas de Proteção Permanente (APPs) deveriam ser estabelecidas, segundo Candotti.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Marta, Maria, Matilde.

Duas amigas de Jesus, as irmãs de Lázaro, Marta e Maria são consideradas personagens bíblicas muito importantes, são dois espelhos para a vida cristã, dois modelos de discípulas de Jesus. Maria foi aquela que “sentou-se aos pés do Senhor, e ficou escutando as suas palavras” (Lucas 10:39). E Marta foi quem proferiu, talvez antes de Pedro, a fé em Jesus como “o Messias, o Filho de Deus que devia vir a este mundo” (João 11:27).

Essas duas amigas de Jesus servem como referência para a nossa vida de hoje. Mas, quero falar em três importantes amigas de Jesus: as irmãs Marta e Maria da Bíblia e a Matilde, que também é amiga de Jesus, uma personagem viva da vida de hoje, da vida iluminada pela Bíblia. Quero falar da professora universitária, que prefere ser chamada de educadora popular, talvez porque professora ela foi por um tempo, mas educadora do povo, uma vida inteira. Quero falar de Matilde Cecchin, a mana do Irmão Antônio Cechin. Ela é uma das pessoas indicadas para o “Prêmio Betinho Atitude Cidadã 2011”. Mas, meu objetivo não é convencer ninguém a votar nela, porque sei que Matilde receberá muitos e muitos votos por ela própria, por seu extraordinário exemplo de vida. Com estas palavras, apenas quero manifestar admiração, respeito e carinho por alguém que, silenciosamente, faz uma verdadeira revolução.

É natural que a maioria das pessoas conheça mais o nome de Irmão Antônio Cechin, porque sua vida foi marcada por muitos episódios fortes. Mas ao seu lado, ele sempre teve uma presença de força terna, de mãe e irmã, através da sua “mana Matilde”, como costuma chama-la. Irmão Antônio, o Tonico, na expressão carinhosa da mana Matilde, sempre expressou a importância singular de sua irmã em todos os momentos de sua vida, seja no trabalho, na criatividade, na convivência, no exemplo, no cotidiano de quem vive em defesa da Vida.

Sabemos que todo o bem que Matilde fez ao seu irmão, perseguido, preso e torturado pela Ditadura Militar, foi alimento para que ela se tornasse cada vez mais uma pessoa livre e capaz de servir e amar os pobres. E foi com sua mana Matilde, que o irmão marista, Antônio Cechin, decidiu consagrar sua vida e viver o batismo em comunidade, servindo aos últimos da sociedade. Foram para a periferia de Canoas, onde deram início a caminhada das Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s). E através dos catadores, levaram a ecologia para dentro da Igreja. Juntos, em Canoas e depois nas Ilhas do Guaíba e em outras periferias de Porto Alegre, fizeram um trabalho fantástico de libertação e empoderamento do povo empobrecido, especialmente as mulheres, negros, índios e jovens. E hoje, ambos continuam firmes na luta, tentando garantir dignidade e direitos aos últimos da sociedade, aqueles que vivem do “lixo”, do que lhes sobrou.

Matilde é uma pessoa de atitude cidadã e a sua especialidade é a educação, tendo sido pioneira na catequese libertadora. Mas, o seu sacerdócio - dom sagrado - de educadora se realiza partejando os saberes dos pobres, tornando-os mais livres, conscientes e sabedores da verdade, sabedores da grande verdade de que eles realmente são capazes. Matilde é uma verdadeira educadora, porque possui o mais magnífico dom da educação, que é a humildade.

Por isso e por muito mais, eu já votei. E para quem conhece Matilde Cecchin, indico o site do “Prêmio Betinho Atitude Cidadã” (www.coepbrasil.org.br/premiobetinho)

Pilato Pereira

Pastoral da Ecologia RS

www.pastoraldaecologia.blogspot.com

Veja a Agromentira

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Projeto torna crime hediondo a violação de regras sobre agrotóxicos

A Câmara analisa o Projeto de Lei 1811/11, do deputado Amauri Teixeira (PT-BA), que caracteriza como crime hediondo a produção, a comercialização, o transporte e a destinação de agrotóxicos ou de seus componentes em descumprimento às exigências legais.
A lei atual (7.802/89) penaliza com dois anos de prisão em regime inicialmente fechado, além de multa, quem descumprir as normas sobre agrotóxicos. Ao tornar essas condutas crimes hediondos, o autor quer dar a elas tratamento mais severo. Os crimes hediondos são inafiançáveis e não podem ser objeto de graça, anistia ou indulto.
A proposta será analisada pelas comissões de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural; e Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois, será votada no Plenário.

Seguidores

Na sua opinião, Ecologia é:

Loading...

Dicas de blogs

Papel de Parede

Lago Sereno Rosa São Miguel das Missões - RS Tranqüilidade