terça-feira, 22 de dezembro de 2009

ONU vai rever processo decisório sobre clima

A Organização das Nações Unidas (ONU) curvou-se ontem a uma crescente pressão para iniciar uma ampla reforma em seus processos de decisão com vistas a um acordo sobre mudanças climáticas.

A reportagem é de Fiona Harvey, Joshua Chaffin e Harvey Morris, do Financial Times, e publicada pelo jornal Valor, 22-12-2009.

Esta e outras informações sobre Copenhague estão no site do IHU - Unisinos (www.ihu.unisinos.br)

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Lula garante que a meta de redução do desmatamento da Amazônia é de 80% até 2020

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, presente em Copenhague na conferência climática da ONU, repeliu hoje a versão de que "o Brasil pretenderia vender a Amazônia". Lula garantiu que a meta de redução do desmatamento da Amazônia é de 80% até 2020. O Presidente confirmou que o Brasil aceita parceria nesta causa, dizendo: "É claro que aceitamos dialogar com a comunidade internacional e cooperar com ela em projetos de conservação".
No entanto, Lula deixou claro que o Brasil vem fazendo sua parte e vai seguir cumprindo seu dever na preservação da Amazônia. "Independentemente dessa cooperação, a meu ver ainda muito tímida, o Brasil tem enfrentado com determinação, e sobretudo com recursos próprios, o desafio de conter o desmatamento e de promover o desenvolvimento sustentável na Amazônia. Além disso, também é pública nossa meta de redução do desmatamento da Amazônia em 80% até 2020, cujo resultado em termos de redução de emissões é superior ao que muitas potências do mundo desenvolvido estão oferecendo até o momento na COP-15", disse o Presidente Lula.

O Presidente Lula concedeu entrevista por escrito aos jornaisPolitiken, da Dinamarca, e o Dagbladet, da Noruega. No Brasil e entrevista do Presidente foi divulgada pela Secretaria de Imprensa do Palácio do Planalto.

Lula disse ainda:
"Posso garantir que, se estivéssemos à espera de o mundo pagar, o quadro do desmatamento hoje na Amazônia seria muito pior do que é."

Nesta quinta-feira, 17/12, no seu primeiro dia na Conferência do Clima de Copenhague, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu com a delegação brasileira, incluindo governadores. Lula também teve encontros com chefes de Estado, como os primeiros-ministros do país anfitrião, Lars Rasmussen, e do Reino Unido, Gordon Brown. El também recebeu um telefonema do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Em seu pronunciamento, o Presidente Lula defendeu, como referência nos compromissos dos países, um aumento máximo da temperatura média global de 2 graus centígrados.
Lula garantiu que a meta do Brasil é reduzir suas emissões de gás Carbônico em até 39% até 2020 e disse que isso exigirá recursos da ordem de 160 bilhões de dólares.
Em seu pronunciamento, Lula descartou a responsabilidade de países em desenvolvimento sobre a mudança climática e voltou a cobrar os países desenvolvidos. Disse que os países ricos devem assumir metas mais ambiciosas de redução de emissões de gases, e que "à altura de suas responsabilidades históricas".
Para o presidente brasileiro, "é inaceitável que os menos responsáveis pela mudança climática sejam suas primeiras e principais vítimas [do aquecimento global]". Lula disse que "as fragilidades de uns não podem servir de pretexto para o recuo e vacilação de outros. Não é politicamente racional nem moralmente justificável colocar interesses corporativos e setoriais à frente do bem comum da humanidade".
Lula também relacionou o tema do Meio Ambiente ao da exclusão social, afirmando que "a mudança do clima é um dos problemas mais graves que enfrenta a humanidade. Controlar o aquecimento global é fundamental para proteger o meio ambiente, permitir o crescimento econômico e superar a exclusão social".
"O combate à mudança do clima não pode fundamentar-se na manutenção da pobreza. A mitigação é essencial. Mas a adaptação é um desafio prioritário para os países em desenvolvimento, sobretudo para as pequenas ilhas e países sujeitos à desertificação, especialmente na África". Disse o Presidente Lula em Copenhague.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu a manutenção do Protocolo de Quioto. Em seu discurso, o presidente lembrou que o Protocolo de Quioto estabelece a obrigatoriedade de financiamento aos países pobres e em desenvolvimento para a execução de projetos na área.
Consonante com Lula, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, também defendeu a manutenção dos esforços para se atingir as metas estipuladas pelo Protocolo de Kyoto.
Sarkozy também criticou o andamento dos trabalhos em Copenhague. "Um fracasso em Copenhague seria uma catástrofe para cada um de nós. Se continuarmos desta forma, caminharemos para o fracasso", disse.
"Temos que mudar de rumo, ou iremos direto à catástrofe...". "Temos menos de 24 horas, se continuarmos assim, vamos fracassar", insistiu Sarkozy.

Assista ao vídeo do pronunciamento de Lula no Youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=ld0IFCMhLhA
“A hora de agir é essa. O veredicto da história não poupará os que faltarem com suas responsabilidades neste momento”
, afirmou o presidente Lula.


sábado, 12 de dezembro de 2009

Rascunho de um possível acordo climático opõe China e EUA

De um lado, os americanos prometeram que não vão assinar um acordo que preveja o financiamento para os países em desenvolvimento sem contrapartidas - em outras palavras, sem que os países mais pobres também se comprometam com metas específicas, e não voluntárias, de redução de as emissões de CO2 , tal como os ricos. Do outro, os chineses exigem que o financiamento seja realizado pelos países desenvolvidos, com responsabilidades históricas no aquecimento global.
Leia mais...

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Fórum Social Mundial - 10 Anos - Grande Porto Alegre


Fórum Social 10 Anos Grande Porto Alegre divulga programação de seminário internacional

Já estão confirmadas as mesas e alguns nomes de palestrantes do Seminário Internacional “10 Anos depois: desafios e propostas para um outro mundo possível”, que acontecerá dentro da programação do Fórum Social 10 Anos Grande Porto Alegre, de 25 a 29 de janeiro. Entre os nomes já confirmados/as estão Boaventura de Souza Santos (Portugal), David Harvey (EUA), Francisco Whitaker (Brasil), João Pedro Stédile (Brasil), Diana Senghor (Senegal), Immanuel Wallerstein (EUA), Samir Amin (Egito), Christophe Aguitton (França) e Virgínia Vargas (Peru).

As atividades do seminário acontecerão sempre pela manhã, na Usina do Gasômetro, em Porto Alegre. Confira abaixo a programação das mesas de debate:

Dia 25/01, quinta-feira:
“Fórum Social Mundial – Balanço de 10 anos”

Dia 26/01, sexta-feira:
“Conjuntura mundial hoje”

Dia 27/01, sábado:
“Elementos de uma nova agenda I”

Dia 28/01, domingo:
“Elementos de uma nova agenda II”

Dia 29/01, segunda:
“Sistematização das grandes questões e contribuição para o processo Fórum Social Mundial”

Além do seminário, a programação do Fórum Social 10 Anos Grande Porto Alegre inclui ainda as atividades auto-gestionadas, que acontecerão sempre à tarde, e a décima edição do Acampamento Internacional da Juventude, que desta vez acontecerá em Novo Hamburgo e cujas inscrições acontecem de 1º a 31/12, através do site http://www.acampamentofsm.org.br. As inscrições das atividades auto-gestionadas serão feitas diretamente com o comitê organizador de cada um dos municípios participantes (Porto Alegre, Canoas, Sapucaia do Sul, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Campo Bom e Sapiranga) em prazo a ser divulgado em breve.

Outros eventos ocorrerão na região no mesmo período. De 22 a 29 de janeiro, será realizado, em Santa Maria e em Canoas, o I Fórum Social e a I Feira Mundial de Economia Solidária e, de 26 a 28, em São Leopoldo, o Fórum Mundial de Teologia e Libertação. O Fórum Social 10 Anos Grande Porto Alegre faz parte do processo do Fórum Social Mundial 2010, que acontecerá de forma descentralizada, com eventos e atividades ao longo de todo ano em várias partes do mundo.


Serviço:

Fórum Social 10 Anos Grande Porto Alegre
Quando: 25 a 29 de janeiro
Onde: Porto Alegre, Canoas, Sapucaia do Sul, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Campo Bom e Sapiranga – RS – Brasil
Contato: fsm2010@yahoo.com.br

Acampamento Internacional da Juventude
Quando: 18 a 28 de janeiro
Onde: Novo Hamburgo – RS – Brasil
Contato: gtmobilizaçãofsm2010@acampamentofsm.org
Site: http://www.acampamentofsm.org.br

I Fórum Social e I Feira Mundial de Economia Solidária
Quando e onde: 22 a 24 de janeiro, em Santa Maria; e 25 a 29 de janeiro, em Canoas – RS – Brasil.
Site: http://www.fsmecosol.org.br
Contato: ecosol@fsmecosol.org.br

Fórum Mundial de Teologia e Libertação
Quando: 26 a 28 de janeiro
Onde: São Leopoldo - RS
Contato: permanentsecretariat@wftl.org

Primeiro esboço de texto de Copenhague


O esboço inicial para um texto do acordo da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 15), incluindo o que foi negociado até o momento para posteriores trabalhos pelos representantes dos países participantes, deve ser apresentado nesta sexta-feira (10), A comunicação foi dada pelo o negociador-chefe do Brasil, embaixador Luiz Alberto Figueiredo, na reunião das Nações Unidas sobre o clima, em Copenhague. Disse que o esqueleto de um documento que poderá ser assinado na próxima semana "está 90% pronto".

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Por que fazem isso comigo e com Jesus?


Tenho recebido inúmeras mensagens com orações e imagens que ajudam a refletir, pensar e rezar. Mas sempre dizem que é preciso seguir uma corrente de fé, enviando a mesma mensagem para outras pessoas. Acho importante passar adiante aquilo que consideramos bom. Mas, essas correntes assustam as pessoas, dizendo que se não passar adiante pode acontecer algo grave. Uma mensagem de e-mail que vem circulando muito na Internet diz assim: “Envie para 20 pessoas e vai receber um milagre amanhã. Jesus disse: ‘se me negas entre os homens, te negarei diante do pai’”. Dá para entender que, se por acaso eu não enviar a mensagem, estarei negando Jesus e Ele, por sua vez, vai me negar diante do Pai que está no Céu.

Não vivo esta fé do medo. Creio no Deus libertador, que enviou seu Filho para perdoar e libertas as pessoas do pecado e da morte. Quando recebo mensagens deste tipo, costumo ler com a devida atenção, mas não sigo as orientações de que devo obrigatoriamente passar adiante. Não costumo passar adiante porque não quero obrigar os outros a fazer o mesmo, por medo e obrigação.

Pessoas amigas, conhecidas e até mesmo pessoas desconhecidas, que tem meu e-mail, me enviam mensagens com esses dizeres, como descrevi acima, “Envie para 20 pessoas e vai receber um milagre amanhã. Jesus disse: ‘se me negas entre os homens, te negarei diante do pai’” ou nestes termos: “se não enviar para 20 pessoas, vai lhe acontecer uma desgraça”. E, diante disso, me pergunto sobre a motivação para alguém ficar colocando Jesus contra as pessoas e as pessoas contra Ele. Sempre me pergunto assim: Por que fazem isso comigo e com Jesus?

Será que a única forma de não negar Jesus é ficar enviando mensagens assim? Será mesmo que se eu não enviar a mensagem, estarei negando Jesus diante da humanidade e assim Ele me negará diante do Pai? Penso que, ao enviar uma mensagem dessas, a pessoa está negando Jesus, está apresentando um Jesus que não é o verdadeiro Filho de Deus, o Cristo que é bom, justo e misericordioso. Será que a condição para o milagre de Deus em nossa vida é, simplesmente, enviar essas mensagens? Será que Deus seria tão mesquinho? Não creio neste deus. Acredito, sim, no Deus de Jesus de Nazaré que anunciou o Reino de amor, justiça e paz. Creio no Deus misericordioso, que não quer nossa condenação, mas o perdão e a vida em plenitude. Creio no Deus que todos os dias se revela num milagre gratuito, incondicional e amoroso, que é a vida.

Peço desculpas às pessoas que enviam essas belas mensagens de reflexão. E até entendo que meus amigos/as não têm má intenção, mas simplesmente repassam mensagens prontas. Com certeza querem me proporcionar um momento de reflexão e oração. Fico muito grato por isso. Só não concordo com parte do conteúdo dessas mensagens, suas imposições de que tem que passar adiante, como se Deus fosse um impositivo. “Deus é amor” (1Jo 4,8) e “quem ama conhece a Deus” (1Jo 4,7). O amor de Deus se tornou visível na presença de Jesus, que veio para dar a vida (cf. 1 Jo 4,9). “Deus é amor: quem permanece no amor permanece em Deus, e Deus permanece nele” (1 Jo 4,16).

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Encontro Estadual da Pastoral da Ecologia

Pastoral da Ecologia da CNBB Sul III aposta nos Grupos Ecológicos de Base

A Pastoral da Ecologia promoveu no último dia 21 de novembro um encontro de formação e articulação, onde foram abordados temas referentes à crise ecológica e a visão cristã de ecologia.

Através do método “Ver, Julgar e Agir”, os participantes do encontro refletiram sobre a atual situação socioambiental do planeta e definiram algumas estratégias para atuação pastoral.

Após acolhida dos participantes e momento de espiritualidade, a bióloga Maria Carmem Sestren-Bastos, do InGá (Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais) fez uma fez uma palestra com o tema “Nós e o Meio Ambiente”. A seguir o canadense Denis, da Igreja da Pompéia apresentou material sobre formas alternativas de preservar o meio ambiente no dia a dia da vida doméstica. Na seqüência houve debate sobre a situação atual do meio ambiente e partilha das experiências dos Grupos Ecológicos de Base (GEB’s). Na parte da tarde, Pilato Pereira abordou sobre aspectos bíblicos e teológicos da Ecologia – a Ecologia como uma questão de fé.

Seguindo os passos da metodologia “Ver, Julgar e Agir”, os participantes do encontro definiram a organização dos Grupos Ecológicos de Base como estratégia para implantar a Pastoral da Ecologia nas dioceses do Rio Grande do Sul.

Os grupos Ecológicos de Base são constituídos por pessoas que, a partir da fé, decidem atuar em defesa do meio ambiente. Um grupo de pessoas que se reúne, reza, estuda e atua conjuntamente. Cada grupo atua no seu local específico, mas conectado com os demais grupos e outras organizações ambientais para sumir lutas maiores. Os Grupos Ecológicos de Base tem quatro pilares de sustentação: o Testemunho, o Dialogo, a Denúncia e o Anúncio. É preciso olhar global e local, agir local e global.

Também esteve presente no encontro o fundador do Movimento Gaúcho em Defesa do Meio Ambiente, MoGDeMA, o Sr. Sylvio Nogueira que compartilhou sobre a experiência de mobilização dos militantes e diversos movimentos e organizações ambientais no caso da Consulta Pública sobre o Pontal do Estaleiro em Porto Alegre. Na ocasião a Pastoral da Ecologia se manifestou em defesa da Orla do Guaíba e contra a privatização e a degradação do espaço natural da Orla do Guaíba no Pontal do Estaleiro.

Foi estabelecido a realização de dois encontros em nível regional durante o ano e outros encontros nas dioceses. A Pastoral da Ecologia participará da celebração dos 10 anos do Fórum Social Mundial e vai oferecer oficinas no Mutirão de Comunicação, que acontece em Porto Alegre, entre os dias 3 a 7 de fevereiro de 2010.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Ipê sedia encontro sobre agroecologia

Este será o sétimo encontro ampliado da Rede Ecovida. Durante três dias serão realizados paineis e oficinas
Mais de 800 pessoas estarão no encontro

Cerca de 800 participantes, entre agricultores agroecológicos, técnicos, autoridades e convidados, estarão entre os dias 13 e 15/11 nos municípios de Ipê e Antonio Prado para participar do VII Encontro Ampliado da Rede Ecovida de Agroecologia. Durante todo o evento, a Feira de Saberes e Sabores estará montada na Praça da Matriz, com artesanatos e produtos agroecológicos feitos por famílias dos 3 Estados do Sul do país.

Com o tema “Agricultura Familiar Ecológica: Produzindo Alimentos, Alimentando Sonhos”, o Encontro vai propiciar, aos participantes e à população em geral, seminários, plenárias e oficinas sobre os principais aspectos da Agroecologia, um modelo de agricultura com forte contribuição à Economia sem abrir dos compromissos ambientais e socialmente justos. Todo resíduo orgânico produzido no evento será reciclado através de compostagem termofílica, numa oficina aberta à população.

Antecipando o Encontro, nos dias 11 e 12/11 ocorre o Fórum Latino-Americano de SPG’s (Sistemas Participativos de Garantia), que atestam a procedência dos produtos agroecológicos numa metodologia de controle em grupo envolvendo consumidores, agricultores e demais atores sociais. Participantes do Paraguai, Bolívia, Peru, Uruguai e Costa Rica debatem em Antonio Prado suas experiências com os SPG’s, que no Brasil são previstos através da Lei 10831 e tendem a ser uma alternativa mais viável à Certificação por empresas.

Esse assunto será levado ao Encontro Ampliado de 13 a 15/11, que abordará também outros temas centrais, como os Mercados Institucionais para produtos orgânicos. Haverá ampla discussão a respeito do atendimento à Merenda Escolar, que passará a ter 30% de seus produtos, por força de Lei Federal, comprados diretamente dos Agricultores Familiares. De acordo com os interesses políticos e a disponibilidade de produtos em cada região, este número pode chegar a 100%, e os alimentos de origem agroecológica terão cotação superior aos convencionais.

Sistemas Agroflorestais, Biodiversidade, Educação e Juventude no Campo também serão debatidos entre os 6 Seminários do Encontro, que conta ainda com 32 oficinas práticas, abordando desde a compostagem de resíduos orgânicos ao manejo ecológico de abelhas nativas. As inscrições para as oficinas e seminários são abertas (mediante disponibilidade de vagas), e devem ser feitas na Praça Matriz de Ipê na sexta (13/11), das 14 as 18h.

Matéria com foto, extraído do site da Rede Sul de Rádio

http://www.redesul.am.br/?ir=noticias_detalhes&id=41116

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

MÚSICA, ARTE E ECOLOGIA



MÚSICA, ARTE E ECOLOGIA - JORGE HERRMANN E ZEZÃO
Conservação em Foco - quinta-feira, dia 19/11, às 19h, na sede do Ingá (Casarão do Arvoredo, Fernando Machado n. 464)

terça-feira, 10 de novembro de 2009

sábado, 31 de outubro de 2009

Encontro de Formação e Articulação da Pastoral da Ecologia

Encontro será dia 21 de novembro, das 8:30 às 16 horas na CNBB, em Porto Alegre.

Em muitas comunidades, paróquias e dioceses do Rio Grande do Sul já existem pessoas organizadas, grupos se organizando e movimentando a Igreja e a sociedade para a causa ecológica. A Igreja no Rio Grande do Sul (CNBB Sul 3) quer reconhecer e fortalecer todas as práticas já existentes no campo da ecologia e fomentar novas iniciativas para que de fato tenhamos uma Pastoral da Ecologia.

Para isso foi programado um encontro de formação e articulação, em Porto Alegre, na sede da CNBB, para o dia 21 de novembro.

Para este encontro, está sendo convidada uma representação de cada diocese do regional e outras pessoas que já estão atuando ou que pretendem atuar em sua comunidade, numa pastoral específica para a causa ecológica.

Trata-se de um encontro de formação e articulação, onde serão abordados temas referentes à crise ecológica e a visão cristã de ecologia. Também haverá um momento de encaminhamentos práticos de como organizar a Pastoral da Ecologia nas comunidades, paróquias e dioceses.

Data: 21 de Novembro (sábado) Hora: 8h às 16h, com almoço no local Local: CNBB Sul 3 – Av. Cristóvão Colombo, 149 - Porto Alegre – RS

Para maiores informações e confirmação de presenças:
(51) 9899.5706 - Natália; (51) 8546.3317 - Pilato; (51) 3225.8483 - CNBB
Por e-mail: pastoraldaecologia.rs@gmail.com ou freipilato@gmail.com


domingo, 25 de outubro de 2009

I Simpósio do IJA: Reserva Legal, APPs e Sustentabilidade na Cadeia Produtiva


5 e 6 de novembro de 2009 | Auditório do Instituto Goethe

Rua 24 de Outubro, 112, em Porto Alegre, RS


APRESENTAÇÃO

O Simpósio visa abordar um dos temas mais importantes da atualidade: a sustentabilidade na cadeia produtiva diante das exigências da legislação ambiental e da qualidade do meio ambiente para as futuras gerações.

O enfrentamento do paradigma produção versus meio ambiente é um dos principais desafios da humanidade no século XXI, e o tema escolhido pelo Instituto Justiça Ambiental - IJA não poderia ser mais atual e importante, tendo como centro da discussão a sustentabilidade na produção rural.


PÚBLICO ALVO

Membros de organizações não-governamentais, advogados e órgãos de proteção do meio ambiente, promotores de justiça, economistas, gestores de sustentabilidade de empresas, técnicos da área do meio ambiente, professores, estudantes e interessados em geral.


Leia mais...

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Papa pede que cristãos sejam testemunhas da preservação ambiental

"Os cristãos são chamados a unir-se no oferecer ao mundo um testemunho crível da responsabilidade pela salvaguarda da Criação"


Cidade do Vaticano, 22 out (RV) - Bento XVI enviou uma mensagem ao patriarca ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu I, para a abertura, nesta quarta-feira, em Nova Orleans, Louisiana, EUA, do Simpósio de Religião, Ciência e Ambiente, que tem como tema "Restabelecer o equilíbrio: o grande rio Mississipi".

Na mensagem, o papa faz um apelo aos cristãos a fim de que ofereçam ao mundo um testemunho crível da responsabilidade pela salvaguarda da Criação e recorda o furacão Katrina, que em 2005 atingiu a referida localidade estadunidense.

As palavras do Santo Padre foram lidas pelo arcebispo de Nova Orleans, Dom Gregory Michael Aymond.

"Os cristãos são chamados a unir-se no oferecer ao mundo um testemunho crível da responsabilidade pela salvaguarda da Criação e a colaborar de todos os modos possíveis para assegurar que a nossa terra possa conservar intacto aquilo que Deus lhe deu: grandeza, beleza e generosidade."

Com essas palavras, Bento XVI quis saudar o patriarca Bartolomeu I e os 150 participantes do VIII Simpósio de Religião, Ciência e Ambiente dedicado ao Mississipi.

"A solução das crises ecológicas do nosso tempo requer necessariamente uma profunda mudança por parte de nossos contemporâneos": a esse propósito, o pontífice se diz "plenamente de acordo" com o patriarca Bartolomeu I sobre o fato que "os problemas urgentes que concernem ao cuidado e proteção do ambiente", contemplando importantes questões políticas, econômicas, técnicas e científicas, são, todavia, "essencialmente de natureza ética".

Citando a Caritas in veritate, o Santo Padre recorda que a natureza "é uma prioridade para todos" e, como fundamento da nossa vida, deve ser usada "responsavelmente" e "com respeito".

O papa ressalta ainda que um conhecimento "puramente econômico e tecnológico" do progresso inevitavelmente provocará "conseqüências negativas" para indivíduos, povos e para a própria criação. Um autêntico desenvolvimento humano chama a uma justiça entre gerações e à solidariedade com os homens e as mulheres do futuro, que têm também eles o direito de gozar dos bens que a criação oferece a todos com abundância, como querido por Deus – ressalta Bento XVI.

O pontífice prossegue a sua mensagem frisando que esse simpósio sobre o Mississipi nos recorda o ocorrido em Nova Orleans e nas adjacências, em 29 de agosto de 2005 com a passagem devastadora do furacão Katrina: "meus pensamentos e minhas orações se voltam para todos aqueles, especialmente os pobres, que experimentaram sofrimento, privação e deslocamentos, e para todos que se empenharam no paciente trabalho de reconstrução e renovação" – escreve o Santo Padre.

Na linha da observação do pontífice, segundo o qual "hoje os grandes sistemas fluviais de todos os continentes estão expostos a sérias ameaças, muitas vezes como resultado de atividades e decisões do homem", o patriarca Bartolomeu I ressaltou, em seu discurso, que "todos nós temos o nosso papel a desempenhar, a nossa sagrada responsabilidade" pelo amanhã. Porque – concluiu o patriarca ecumênico de Constantinopla – "toda decisão, pessoal e coletiva, determina o futuro do planeta". (RL)

Fonte: Rádio Vaticano

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Ecologia foi o tema do Encontro de CEB’s da Diocese de Santa Maria

Com tema, “Construir Comunidades Eclesiais e Ecológicas de Base” e o lema, “O discipulado acontece na comunidade”, a Diocese de Santa Maria realizou, entre os dias 17 e 18 de outubro, o seu 16º Encontro de CEB’s. O encontro reuniu em Nova Palma, aproximadamente mil delegados/as das comunidades e paróquias e contou com a assessoria de Padre Marins, Padre Antonio Dalla Costa e Frei Pilato Pereira.


Padre Antônio falou sobre “Comunidades de Base e Discipulado” e Padre Marins abordou sobre o tema “Testemunho – ‘Igreja Comunidade’”. Frei Pilato falou sobre “Comunidades Ecológicas”. E através do método Ver, Julgar e Agir, desenvolveu os seguintes tópicos:

1. CRISE ECOLÓGICA, A CRISE DA CIVILIZAÇÃO

VER: A Terra é um macroorganismo vivo. E nela somos uma comunidade – a comunidade humana, uma comunidade planetária e cósmica. Mas hoje, vivemos uma situação de crise, que pode ser chamada de crise ecológica e de comunitariedade (crise de vida comunitária, crise de convivialidade). Somos uma civilização em crise.

2. ECOLOGIA, A ARTE DA RECONCILIAÇÃO

JULGAR: A vida é obra da Trindade criadora, Deus comunidade, Deus ecológico. Cremos no Deus criador e defensor da vida. Deus nos criou com o poder da Palavra, nos criou em comunicação. Somos criados por Deus e por Ele chamados a viver e cuidar da vida. Por isso, a Ecologia, para nós cristãos, é uma questão de fé e missão. A Ecologia é ciência e a arte da reconciliação e da convivialidade.

3. ECOLOGIA, UMA QUESTÃO DE FÉ E MISSÃO

AGIR: A Ecologia, para nós cristãos, é uma questão de fé e missão. Precisamos ser ecológicos, como Deus é ecológico. Nossas comunidades devem ser sinais e instrumentos do testemunho da nossa fé no Deus criador e defensor da vida. Nossa missão, como discípulos/as missionários/as de Jesus Cristo, é viver em comunidade, construir Comunidades Eclesiais e Ecológicas de Base. Pois, o discipulado acontece na comunidade.


Clique AQUI para ouvir as palestras do encontro no site da Paróquia de Nova Palma


quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Seminário "Quilombos: Terra, Trabalho e Inclusão"


A Comissão Pastoral da Terra, a Diocese de Santa Maria e a CNBB Sul 3 convidam as lideranças das comunidades, pastorais, sindicatos, entidades e movimentos sociais para o Seminário "Quilombos: Terra, Trabalho e Inclusão" em preparação à 33ª Romaria da Terra.


Data: 27 de outubro de 2009.
Início: 08h30min
Término: 15 h

Local: Salão Paroquial da Catedral de Santa Maria.
PROGRAMAÇÃO:
08h30min – Espiritualidade
09 h – Painel: Quilombos: “Terra, Trabalho e Inclusão”.
12 h – Almoço no local. R$ 3,00
13 h – Conclusões, encaminhamentos e reunião das equipes.
15 h - Encerramento.
INFORMAÇÕES
Projeto Esperança-Cooesperança:

(055) 3219 4599

(055) 3222 8275
Comissão Pastoral da Terra:

(051) 3344 4415

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Romaria das Águas: respeito à natureza e a liberdade e diversidade religiosa


Como acontecem todos os anos, o dia 12 de outubro é um dia de grandes e muitas romarias em honra de Nossa Senhora Aparecida.


Há 16 anos acontece em Porto Alegre a Romaria das Águas, em homenagem a Nossa Senhora Aparecida das Águas, uma devoção que iniciou com os catadores de lixo das Ilhas do Guaíba.


Neste dia 12 de outubro, de 2009, a Romaria das Águas em Porto Alegre, mesmo constando no calendário do município e tendo recursos aprovado no orçamento, não contou com apoio governamental, como já aconteceu em outras edições. Nem sempre a Romaria recebe o apoio de governo. Como também ainda não é um evento oficialmente apoiado pela Igreja.


Sempre teve a presença de padres e religiosos e até de bispos e é promovida com a parceria da Pastoral da Ecologia da CNBB, mas a Romaria das Águas ainda não tem recebido apoio oficial da Igreja Católica. Outras Igrejas cristãs participam e colaboram na organização do evento, mas a participação decisiva se dá pelas religiões de matriz africana, especialmente a Umbanda.


A Romaria das Águas, em Porto Alegre, tem chamado a atenção das religiões afro-brasileiras devido ao seu caráter ecumênico, ecológico e o respeito às diferenças culturais e religiosas.


A Romaria das Águas, por ser um ato de tão grande ecumenismo, de tão amplo dialogo inter-religioso, talvez não pudesse acontecer dentro de um templo, de uma catedral edificada por uma determinada religião ou igreja. Um evento dessa envergadura ecumênica só pode acontecer num templo aberto da natureza, o templo que o próprio Deus construiu. A natureza é o lugar próprio para celebrar e louvar o criador da vida. No templo da natureza não existe preconceitos e desrespeitos com as diferenças. A natureza nos ensina a sermos irmãos e vivermos a união na diversidade.


Com relação à 16ª edição da Romaria das Águas, de 2009, é importante denunciar que não foram investidos os recursos que constam no orçamento da Prefeitura de Porto Alegre para apoiar este evento, que também faz parte do calendário do município. O apoio necessário não veio do poder público. A Prefeitura de Porto Alegre, do governo Fogaça, apenas ajudou com algumas migalhas.


Nesta edição, a Romaria das Águas teve maior concentração no largo do Gasômetro, de onde partiu um barco de passeio com a imagem de Nossa Senhora até o Pontal do Estaleiro Só, local que foi alvo da consulta pública no dia 23 de agosto por conta dos projetos de privatização da orla do Guaíba.


A 16ª Romaria das Águas foi encerrada com um ato ecumênico que reuniu milhares de pessoas no largo do Gasômetro. Além dos fiéis, devotos de Nossa Senhora e militantes ambientalistas, outras milhares de pessoas que passeavam ou participavam da Feira de Artesanato na Usina do Gasômetro, também se integraram ao ato ecumênico da Romaria.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

16ª Romaria das Águas



Das 9 às 12 hs
– Oficinas, filmes, praça de alimentação (Peixe na Taquara), artesanatos, apresentações, músicas

12 hs – Ato político de caráter ecológico

13:30 – Saída barco do passeio

14 hs – Saída Imagem grande do Santuário e dos romeiros do clube.

15 hs Celebração da Vida – Ato Inter-Religioso

16 hs Encerramento


domingo, 4 de outubro de 2009

O modo franciscano de fazer Ecologia

No Dia de São Francisco, reflitamos sobre sua atitude ecológica, que muito nos inspira na luta em defesa da vida.

Percebe-se que nos últimos tempos a sociedade, por várias razões, vem tendo uma maior preocupação com as questões ambientais, com a promoção da justiça, dos direitos humanos e da paz. E nós franciscanos, com toda certeza, podemos e devemos dar a nossa contribuição numa escala progressiva, ou seja, aumentar e qualificar ainda mais a nossa presença e atuação em defesa da vida. Faz parte do nosso carisma, temos como herança de São Francisco de Assis: o cuidado para com a vida, o respeito pelas criaturas e a fé na Trindade criadora. Pode-se dizer que é por intuição franciscana que a Igreja vem se aproximando cada vez mais da Ecologia e introduzindo-a na sua atividade pastoral.

A contribuição franciscana à ecologia despertou a sociedade, não só para a ecologia em si, mas para a sua transversalidade. A ecologia, no modo franciscano de ser, é uma ciência e uma causa universal que se relaciona com outras causas da humanidade como, por exemplo, os direitos humanos, a justiça social e a paz. A ecologia, com espírito franciscano, como a ciência e a arte das relações, deve estar presente em todas as áreas do conhecimento e da atividade humana. Este é o modo franciscano de fazer ecologia. A ecologia que relaciona o meio ambiente com o ser humano e todas as dimensões da vida humana e da sociedade. Ecologia tem a ver com a questão da paz, da saúde, da economia, da política. E tem tudo a ver com a religião. Hoje, pela gravidade da crise ecológica, ninguém pode se omitir em colaborar com a grande luta de todos que é a ecologia. Se ninguém deve ficar de fora da soma de esforços em defesa da vida no planeta, muito menos a religião, que deveria ser protagonista na luta ecológica. Porque além da preocupação com a crise, a religião tem a ver com ecologia pela fé no Criador e na Criação de Deus.

Podemos ter São Francisco de Assis como um verdadeiro exemplo de ser humano que soube respeitar e valorizar todas as criaturas. A justiça, a paz e a ecologia foram bandeiras erguidas por Francisco de Assis. Ele soube ser justo e promover a justiça, soube ser fraterno com os outros e se relacionar com as pessoas tendo a paz como um pressuposto. Foi amigo e irmão da natureza, como demonstra no Cântico das Criaturas, onde todos os seres são tratados como irmãos e irmãs. Para São Francisco as criaturas não tinham apenas um valor utilitário, mas um valor simbólico e sacramental, que lhes é inerente. No carisma franciscano está bem presente a dimensão do cuidado ético para que as gerações futuras não pereçam com a escassez causada pelo consumismo e pela degradação dos recursos naturais.

O franciscanismo defende um desenvolvimento sustentável alternativo que vai muito além do econômico, que procura promover uma qualidade de vida para todas as pessoas, sem explorar o meio ambiente, buscando de forma responsável os recursos de sustentação da vida humana. Um desenvolvimento que seja economicamente viável, político-socialmente justo e ecologicamente sustentável, levando em conta que o mundo não é só nosso, mas de todas as criaturas que hoje coabitam a Terra e das que virão no futuro. Mas, com certeza, não podemos ficar apenas no discurso, é preciso muita luta. Porque não são apenas as boas intenções que movem o mundo. As boas intenções valem mesmo quando elas se tornam presenças voluntárias e efetivas que somam força nas boas ações. Ter boa intenção é um bom começo, é o primeiro passo para ajudar a mudar o mundo. Mas quando uma boa intenção não fizer o passo seguinte, que é a prática, a boa ação, então, ela acaba indo para o começo do fim, no precipício. A ecologia nos exige o desafio de pensar e olhar de forma ampla, global e a longo prazo, mas requer um agir local e cotidiano.

freipilato@gmail.com

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Obrigado pelo Selo PENSAR ECO, É LÓGICO.

Blog Aprendizes do Beija-Flor, reconhecendo a participação do blog Olhar Ecológico na melhoria de vida do planeta, oferece um selo do blog PENSAR ECO, É LÓGICO. O selo é repassando de um blog para outro como reconhecimento de blogs que fazem a diferença na educação ambiental e na preservação do meio ambiente.


O nosso blog, Olhar Ecológico, agradece o gentil reconhecimento e promete passar adiante o selo que representa um compromisso com a vida do planeta.


O Blog Aprendizes do Beija-Flor, de Saquarema, Rio de Janeiro, Brasil, é organizado por professores e alunos do C. E. Oscar de Macêdo Soares. São pessoas comprometidas com a preservação do meio ambiente e com novas propostas pedagógicas para um ensino de qualidade a fim de tornar os estudantes em cidadãos plenos.


Que os Aprendizes do Beija-Flor continuem aprendendo e ensinando a fazer a diferença.

Saudações ecológicas!!!

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Carta de Frei Óscar Vasquez OP. sobre Honduras

Em carta, frei relata sobre o golpe militar e a situação do povo hondurenho neste momento.


O Serviço de Justiça, Paz e Ecologia – SEJUPE – da Província dos Capuchinhos do Rio Grande do Sul recebeu uma carta escrita por um frade da Ordem dos Pregadores (Dominicanos), residente em Honduras, contando algumas coisas referentes ao golpe militar e sobre a situação do povo hondurenho neste momento.

Frei Óscar Vasquez OP, relata que em todo o território nacional de Honduras prevalece “a violência, a repressão e a anulação de todas as garantias constitucionais e individuais de quem se encontra no país”. De acordo com Frei Óscar, todos os meios de comunicação estão impedidos de comunicar nacional e internacionalmente o que vem ocorrendo realmente no país, sobre os atos repressivos do governo-militar de fato. Além de rádio, televisão, jornais, também as linhas telefônicas estão sendo cortadas.


Também existem ameaças de corte da energia elétrica no território de Honduras. E já foram cancelados os vôos nacionais e internacionais e os aeroportos foram militarizados.


O exercito vem agindo com extremo rigor e perversidade contra a população que vive um caos social e militar. Ocorrem frequentemente no país golpes, maltratos, detenção, torturas e ataques às instituições de imprensa, de direitos humanos, sindicatos, professores, ativistas camponeses, feministas e outros.

Criou-se em toda a sociedade de Honduras um clima de tensão, pois, quem reagir ao governo golpista corre o risco de prisão. Um estádio de futebol chegou a ser transformado em presídio.


Frei Óscar Vasquez OP
, em sua carta pede socorro aos irmãos e irmãs na fé, convidando para que a Igreja se manifeste em solidariedade ao povo de Honduras. Pede que a Hierarquia da Igreja, os institutos, as ordens e congregações religiosas ajudem a pressionar em favor da liberdade e democracia para o povo de Honduras. Frei Óscar afirma que a Igreja de Honduras não está sendo indiferente e, sim, solidária com seu povo e pede aos organismos, comissões de justiça e paz da sua Ordem e de outras instituições, que tomem posição em defesa dos Direitos Humanos em Honduras.


Uma comissão religiosa mista esteve visitando Honduras nestes dias e se encontra em Tegucigalpa. Porém, não se tem informação de como se encontram neste momento. Frei Óscar, no entanto, pede a quem pude, que facilite as informações de como se encontra esta comissão religiosa que se empenha em colaborar com a restituição da paz e da liberdade em Honduras. Óscar afirma estar preocupado com a segurança dos membros desta comissão. E conclui sua carta com um verso do salmo 85 (84), “O Amor e a Verdade se encontrarão, a Justiça e a Paz se abraçarão”.

Leia na íntegra, em Espanhol, a carta de Frei Óscar Vasquez OP.


Manifestação do SEJUPE sobre a situação de Honduras

A equipe do SEJUPE – Serviço de Justiça, Paz e Ecologia – dos Frades Capuchinhos do Rio Grande do Sul agradece a atenção, o apoio, e pede ajuda para a divulgação deste comunicado, para que se constitua uma rede de solidariedade para com o povo de Honduras. Neste momento, como franciscanos e cristãos, não podemos nos omitir.

Talvez seja conflitiva e contraditória a situação da Igreja Católica em Honduras, pelo fato de, no mês de julho, ter se manifestado pedindo a Zelaya que não retornasse ao país. Hoje pode estar sendo difícil para a hierarquia da Igreja atuar na mediação do conflito. No entanto, os fiéis, lideranças e instituições da Igreja, podem e devem agir de forma profética em defesa da dignidade, dos direitos e liberdade do povo de Honduras.

Apesar de, infelizmente, ter admitido a legalidade do golpe, a Igreja desde o início defendeu o dialogo como saída para a crise. Vale recordar também que o bispo da Diocese de Copán, Honduras, Luis Alfonso Santos, desde o início discordou da posição oficial da Conferência Episcopal de Honduras. O bispo disse “repudiar a substância, a forma e o estilo com que se impôs ao povo um novo chefe do Poder Executivo”.

Este é o momento para a Igreja de Honduras e de todo o continente, testemunhar a fé em Jesus Cristo, agindo de forma profética em favor da justiça, da paz, da liberdade e dos direitos humanos ao povo de Honduras.

Assim como é grande a responsabilidade do Estado Brasileiro frente à crise de Honduras, também é enorme nosso compromisso como sociedade e, de modo especial, como Igreja. Portanto, não podemos nos omitir.

É neste momento que sabemos quem está a favor da liberdade, da justiça, da paz e da democracia.

Paz e Bem!

Serviço de Justiça, Paz e Ecologia – SEJUPE – da Província dos Capuchinhos do Rio Grande do Sul.

www.capuchinhosrs.org.br/sejupe

sejupe@ofmcaprs.org.br

Carta de Frei Óscar Vasquez OP, relatando a situação de Honduras


Asunto: Honduras/Dominicos

COMUNICADO DE LOS DOMINICOS HONDUREÑOS,

22 septiembre 2009


Hermanos de la Provincia [San Vicente Ferrer en Centroamérica]

Las hemanas y hermanos de la Familia Dominicana de San Pedro Sula (Honduras) estamos bien, a la expectativa de los acontecimientos en desarrollo.


En virtud de los acontecimientos recientes y de lo que sucede en estos minutos en el Territorio Nacional respecto de la violencia, represión y anulación de todas las garantías contitucionales e indivuales de los que nos encontramos en este país, les comunico algunos puntos importanes a tener encuenta:


1. Se están suspendiendo todas las formas y medios de comunicación en el territorio nacional, a fin de no informar nacional e internacionalmente lo que REALMENTE acontece en el país sobre los actos represivos ejecutados por el Gobierno-Militar de Facto. Esto implica: internet, radio, televisión y prensa escrita; como también la suspensión, boicoteo e intervencion de las líneas telefónicas.


2. Hay amenaza y denuncia pública por el gobierno de facto de suspender el fluido eléctrico en todo el territorio nacional.


3. Se han cancelado los vuelos nacionales e internacionales; están cerrados y miltarizados los aeropuertos del pais. Por ello la OEA y todos los organismos internacionales que tenían su arribo al país, lo han suspendido obligadamente.


4. El País están en un caos social y militarmente. Se están llevando acciones concretas por parte de la policía preventiva y el ejército, tales como: golpes, maltratos, detenciones, torturas, y ataques a intituciones de prensa, de derechos humanos, organizaciones y sindicatos, maestros, activistas campesinos, feministas, entre otros.También sigue vigente la orden de decretar a tod@s los ciudadanos: País Por Cárcel de manera indefinida. Como ejemplo les informo: Un estadio en Tegucigalpa está siendo inundado, hoy no a causa de un partido alienante de futbol, sino porque lo han convertido en una Prision para insurrectos y lugar de torturas para irreverentes en contra del golpe de estado miliatr y del gobierno de facto.


5. Debido a todo esto es muy probable que no pueda continuar facilitándoles algunos correos -como lo venía haciendo hace unas horas- para darse idea de la realidad que vivimos en el interior del país. Es probable también que no se puedan comunicar por medios telefónicos.


6. Finalmente, les invito a que hagan cirucular correos, pronunciamientos, llamados solidarios, acciones concretas y también comunicaciones vía telefónica a fin de generar una presión y apoyo internacional para que no avance más de lo que se está ejecutando esta represion en Honduras. Nosotros como Orden y como miembros de Institutos Religiosos, Coferencias de Religiosos y cercanos a las Jerarquías Eclesiales en nuestros Países estamos OBLIGADOS RESPONSABLEMENTE DESDE EL SEGUIMIENTO DE JESÚS Y SU EVANGELIO DE VIDA A NO SER INDIFERENTES A ESTA REALIDAD QUE NOS AFECTA A TOD@S .


SOY consciente de que no a todos nos afecta de la misma manera, y no todos vivimos y percibimos estos acontecimientos con el mismo impacto. Pero sí todos estamos comprometidos a proveer el apoyo y la comunicación con actitud profética, compasiva y solidaria para que los que tienen los medios y posibilidades de actuación inmediata lo realicen en Pro y defensa de la VIDA, LOS DERECHOS DE ESTE HERMANO PUEBLO.


ASÍ QUE NUEVAMENTE PIDO A NUESTRAS AUTORIDADES DE LA PROVINCIA, A LAS COMUNIDADES, A LAS COMISIONES DE LOS DISTINTOS SERVICIOS, PARTICULARMENTE AL COORDINADOR DE JUSTICIA Y PAZ A ESTAR ATENTOS Y EN CONSTANTE COMUNICACIÓN CON LA ORDEN EN EL MUNDO Y OTROS ORGANISMOS INTERNACIONALES PARA PROPICIAR LA TOMA DE POSTURA EN DEFENSA DE LOS DERECHOS HUMANOS EN HONDURAS.


*COMO NOTA APARTE: Una comisión religiosa mixta ha visitado Honduras en estos días. Y se encuentra en Tegucigalpa. Todavía no hemos constatado la información pero es muy probable que se encuentre participando de la misma nuestro hermano JIM BARNET. Favor los que tengan información al respecto faciliten alguna comunicación para también velar por su seguridad.


Saludos y abrazos....

Con atención.

...

Fr. Óscar Vásquez., op.
--
El Amor y la Verdad se encontrarán,

la Justicia y la Paz se abrazarán.

Salmo 85(84)

Seguidores

Na sua opinião, Ecologia é:

Loading...

Dicas de blogs

Papel de Parede

Lago Sereno Rosa São Miguel das Missões - RS Tranqüilidade